Hoje é festa de são Marcelino Champagnat, fundador dos Irmãos Maristas

"Tudo em honra a Jesus, mas por meio de Maria. Tudo por Maria, para levar a Jesus”, dizia são Marcelino Champagnat, fundador dos Irmãos Maristas, cuja festa é celebrada hoje (6).

Notícias da Igreja

06.06.2024 - 05:40:00 | 3 minutos de leitura

Hoje é festa de são Marcelino Champagnat, fundador dos Irmãos Maristas

São Marcelino nasceu em 1789 em uma família francesa e muito cristã que passou dificuldades com a revolução. Sua mãe o consagrou a Nossa Senhora e sua tia lia para ele a vida dos santos.

 

Cresceu sem frequentar a escola, mas se formou com leituras caseiras no amor pela fé. Em sua infância, aprendeu a profissão de pedreiro e sua habilidade nos negócios para a venda de cordeiros lhe ajudou a pagar seus estudos depois.

 

Mais tarde, ingressou em um seminário menor perto de sua cidade. Embora tenha achado difícil aprender as matérias, a ponto de quase ser expulso do lugar, seu bom comportamento e o apoio de bons amigos permitiram que ele continuasse.

 

Um de seus companheiros, que também tinha problemas no estudo, foi o futuro são João Maria Vianney, também conhecido como o santo Cura de Ars.

 

São Marcelino foi ordenado sacerdote em 1816. Foi enviado como vigário de um sacerdote idoso em uma cidade onde as pessoas desperdiçavam seu tempo em bebedeiras e festas; mas o santo incentivou tanto os jovens a aprenderem as coisas de Deus, que os meninos chegavam à igreja antes das seis da manhã para a catequese.

 

Em uma de suas visitas ao santuário mariano de la Fourvière, são Marcelino recebeu a inspiração de fundar uma congregação religiosa dedicada a ensinar o catecismo. Naquela época, conheceu um jovem doente, sem preparação na fé. Ajudou-o a morrer em paz e procurou companheiros para começar a obra educativa.

 

Em 2 de janeiro de 1817, começou a nova comunidade de Irmãos Maristas, a quem o santo instruiu com grande dedicação, enviando-os para diversas paróquias como professores de religião e catequistas, enquanto chegavam novos aspirantes.

 

Dentro do método que utilizava na formação estavam a caridade, o canto e a participação ativa dos alunos. Estavam rotundamente proibidos o trato humilhante e os castigos físicos e deprimentes. Outra essência de sua pedagogia era o amor a Maria.

 

“Nossa Comunidade pertence inteiramente a Nossa Senhora, a Mãe de Deus. Nossas atividades devem estar dirigidas a fazê-la amar, estimar e glorificar. Ensinemos sua devoção aos nossos jovens, e assim os conduziremos mais facilmente a Jesus Cristo”, dizia são Marcelino aos seus religiosos.

 

O fundador dos Irmãos Maristas faleceu em 6 de junho de 1840, quando tinha apenas 51 anos, depois de sofrer muito de gastrite aguda e de câncer no estômago que causou sua morte. Seu trabalho educacional se expandiu em muitos países.

 

Foi canonizado em 1999 por são João Paulo II, que enfatizou que “são Marcelino anunciava o Evangelho com coração totalmente ardente. Foi sensível às necessidades espirituais e educativas da sua época, sobretudo a ignorância religiosa e as situações de abandono vividas em particular pela juventude”.

 

 

 

Fonte Agência Católica de Informação - ACI Digital
Imagem Divulgação
Mais em Notícias da Igreja
 
 
Copyright © 2024 - Diocese de Juína.
Todos os direitos reservados, navegando no site você está de acordo com os termos de uso e a nossa política de privacidade.
Desenvolvido com por Desenvolvido com amor Agência Arcanjo